PANAPLÉIA

Minha foto
Bem-vindo(a) ao Laboratório de Autoria de Panapléia! À esquerda das postagens, estão meus textos divididos em categorias e temas. À direita, indicações de blogs e as mídias sociais. No rodapé, mimos felinos e os créditos do blog. Boa leitura!

INDEPENDÊNCIA É FUNDAMENTAL


Ontem o Conselho Nacional de Autorregulamentação – CONAR liberou à propaganda da Giovanni DraftFCB. O órgão considerou que "os estereótipos presentes na campanha são comuns à sociedade e facilmente identificados por ela, não desmerecendo a condição feminina.” Mesmo assim, vou eu me aventurar no assunto, pois sempre discordo dos Conselhos de Ética (e não me toquem no Senado!). Para quem não sabe do que se trata, assista ao vídeo.

Gisele Bündchen vestida de shortinho e blusa diz: "amor, estourei meu cartão de crédito". Carimbo: errado!

Nesse ponto aqui meu cérebro já identifica o tipo com o carimbo: shopaholic!

Na cena seguinte, Gisele aparece de lingerie e diz em tom manhoso: "amor, estourei meu cartão de crédito e o seu também"Carimbo: certo! Em off ouve-se:  “Você é brasileira, use seu charme”.

Traduzindo para o dialeto das periguetes seria: “agora que eu tô ferrada não vou arcar com esse prejuízo sozinha. Comprei parte no seu cartão porque é só você quem vai tirar mesmo.” Em off se ouviria “ai, como ela tá bandida” seguido de aplausos nacionais para o charme da mulher brasileira.

A celeuma começou quando a Secretaria de Políticas para as Mulheres e o Instituto Patrícia Galvão declararam que o texto da propaganda era uma estratégia para gerar polêmica e visibilidade para a marca: “reforça o estereótipo equivocado da mulher como objeto sexual de seu marido e ignora os grandes avanços que temos alcançado para desconstruir práticas e pensamentos sexistas. Também apresenta conteúdo discriminatório contra a mulher, infringindo os artigos 1° e 5° da Constituição Federal."

Benjamin Yung, diretor de criação da DraftFCB, se defendeu afirmando que “a propaganda teve o objetivo de mostrar, de forma bem-humorada, que a sensualidade natural da mulher brasileira, reconhecida mundialmente, pode ser uma arma eficaz no momento de dar uma má notícia. A gente nem saiu para se defender e já apareceu um monte de mulheres nos defendendo. As mídias sociais reagiram com humor ao comercial”. Essa reação não me espanta em nada visto que estamos num país onde o Zorra Total alcançou 28 pontos e Malhação 26 no Ibope de agosto.

A top contratada por 5 milhões (quantos cartões de crédito daria para quitar com esse cachê?) lançou nota oficial, lamentando que “algo que era para ser divertido tenha tido outra interpretação”. Gisele, linda e loira, reveja seu conceito de divertido lendo Ricardo Kelmer e Leo Cunha!

Os fãs da modelo, nada preconceituosos e muito menos sexistas, atacaram a ministra Iriny Lopes por não ter a beleza determinada por nossa sociedade antropofágica. Santa Paciência, agora querem até uma ministra comestível!

O tiro no pé da DraftFCB foi carimbar de CERTO uma consumidora compulsiva - sendo que 71% dos brasileiros endividados estão inadimplentes com o cartão de crédito. Com essa a Hope, marca que consumia há alguns anos, perdeu uma cliente de peito!


Se era para ser engraçado tivessem se inspirado na obra de Sophie Kinsella: Os delírios de Consumo de Becky Bloom. O longa, baseado no livro homônimo, conta a história de Rebecca Bloomwood, shopaholic endividada que se apaixona por Luke Brandon, expert em finanças.  Escrevendo para a revista Economias de Sucesso, a garota da echarpe verde (pseudônimo da jornalista) é humilhada por Derek Smeath ao vivo numa entrevista em rede nacional. Depois de perder seu emprego, seu namorado e sua melhor amiga, Becky leiloa o seu closet para pagar sua imensa dívida. 


Mulheres, valorizem seu crédito e administrem bem suas contas pessoais! Gisele e Isla Fisher que me perdoem, mas independência financeira é fundamental!

| 2011 |

3 comentários:

  1. FACEBOOK:

    Paula, teu texto está bom (pq vc escreve MT bem), mas acho que o bafáfá em torno dessa propaganda é gastar muita energia por pouca coisa. É minha opinião. Ainda não comprei nada da Hope, mas comprarei um dia pra saber se gosto da marca; admiro Gisele Büdchen (de boca fechada, principalmente) pq ela é uma baita trabalhadora que conseguiu se fazer aqui e lá fora; e não me sinto menos mulher pq "personagem" agiu assim ou assado em um anúncio publicitário. Imoral, pra mim, foi aquela propaganda da Caixa Econômica ter colocado um Machado de Assis branco e nada epilético pra circular por aê. Aliás, se tu tivesse visto, alguma vez na vida, os vídeos que a Setur divulga em eventos internacionais de turismo pra vender as mulheres, ops, a cidade de Fortaleza... Te garanto que tu ficaria muito mais horrorizada. Mas valeu d+ a crítica do teu ensaio. ;)

    (...)

    Pode postar sim! Ow mulher preu amar! Ainda bem que tu é madura e tem cabeça boa, menina! Se fosse alguém mais infantil, me mandaria pro inferno por ter exposto minha opinião, rs.

    Fernanda Lym (revisora)
    Fortaleza - CE

    ResponderExcluir
  2. Adorei o texto, Paulinha!
    O bastante para suscitar discussões aqui entre mim, minha irmã e a babá das minhas sobrinhas gêmeas! hauhaua
    FORÇA FEMININA PENSANTE! =D

    Moema Vilar
    Campina Grande - PB

    ResponderExcluir
  3. FACEBOOK:

    Amiga... eu e minha irmã passamos hooooooooooooras conversando sobre isso e dando lições pra babá e pra diarista sobre autoestima feminina, liberdade, feminilidade, independencia e tudo mais que devemos ter! hauhauhau. Entre outras coisas, descobri que quanto mais pobre a mulher, mais preconceituosa consigo mesma e com o mundo. Uma lástima isso! Ficaram chocadas quando falei que adorava um negão! Acredita? Tem coisa que não tem como explicar... E lá vou eu dar lição de cidadania, diversidade, respeito e história... Ai, ai ... Mas li suas palavras e sua versão para a propaganda! Rimos muitooooooooooooooooooooooo!!!
    Obrigada por nos das oportunidade dessa "vivência"! hauhauahuahaua

    Moema Vilar
    Campina Grande - PB

    ResponderExcluir

Caro visitante...

Se tiver dúvidas no preenchimento dos campos, selecione a opção "anônimo" e assine no final (nome, cidade e estado).
Seu comentário será moderado e aprovado (ou não, no caso de spam) através do meu e-mail pessoal.
Sua participação é muito importante para a continuidade do meu trabalho.
Grata pela colaboração despenteada!

Paula Izabela

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...