PANAPLÉIA

Minha foto
Bem-vindo(a) ao Laboratório de Autoria de Panapléia! À esquerda das postagens, estão meus textos divididos em categorias e temas. À direita, indicações de blogs e as mídias sociais. No rodapé, mimos felinos e os créditos do blog. Boa leitura!

DE TOM ZÉ PARA MOÇA

Boa Viagem – CE, 24 de julho de 2009.

Oi, moça!

Ainda vivo, vivíssimo. De saída para o hotel. Hoje terei um jantar institucional.
Agora o e-mail chegou. Realmente o primeiro não passou por aqui, perdeu-se entre os satélites. Nossos endereços não estão querendo dialogar... Talvez chegue depois. O servidor não tem muita pressa. Às vezes recebo no dia seguinte.
Ainda sou do tempo em que assuntos pessoais não se resolviam por correspondência, mas visto que não tivemos como conversar terei que apelar e pedir ao santo padroeiro dos pombos-correio para a resposta deste e-mail chegar a minha caixa-postal.
Não gosto de usar o telefone celular (da empresa) para assuntos particulares. Tenho telefone em casa, só para internet, mas é melhor não ligar. Não gosto muito de falar ao telefone. De repente, não poderei atender. Eu disse que era solteiro, mas não sou solitário. Eu poderia mentir, mas não sei jogar e estou velho demais para tentar aprender. Para encarnar o ator eu preciso de figurino, maquiagem, palco e holofotes.
Como você disse que perguntar não ofende... Desculpe, mas... Você está mal intencionada? (risos) Adorei conhecê-la, discreta e, ao mesmo tempo, ousada. Levando em consideração toda sua simpatia, tiro suas dúvidas. Antes de tudo hetero, apesar de estar meio fora de moda. Estou até pensando em organizar o Dia do Orgulho Hetero. Em Fortaleza, 1/3 da população já frequenta o Dia do Orgulho Gay. Nessa velocidade, seremos nós a minoria. Tempos modernos. Meu pai me falava que baitola sempre teve, na mesma quantidade, o problema é que agora eles estão em evidência.
A aliança? Não gosto de usar nada no corpo, nem relógio. Uso óculos porque não tem outro jeito. Tenho três filhos – meus tesouros, a maior paixão da minha vida. Fui casado duas vezes! Até tentei, mas não consegui. Por incompetência minha, acho. Creio que não nasci para viver com alguém, todo dia, o dia todo.
Atualmente moro só. Não abdico dessa condição. Não estou a fim de relações estáveis, nem de receber cobranças. Estou fora disso há séculos. Já paguei todas minhas penitências depois de dois casamentos. Quero ter o luxo de não fazer nada que não quero. Ou seja, só faço aquilo que me dá prazer. Beirando os 60 anos você vai sentir a mesma coisa. Pode ser egoísmo, mas já fui muito menos egoísta e me estrepei, em todas. Agora, primeiro eu, depois meus filhos. As outras relações são secundárias. Amizades, algumas coloridas, quando for conveniente.
Nunca conheci quem conseguisse manter bem-estar profissional e pessoal ao mesmo tempo. Essa gangorra é uma lástima! Posso estar enganado, mas quando estamos realizados profissionalmente acabamos sacrificando nossa vida pessoal e vice-versa. Faz parte do campeonato! Não dá para ganhar todas as partidas. Talvez até fosse chato ganhar todo o tempo.
 Na verdade, quando me aproximei de você não foi por querer apenas alguém para transar (tenho opções até sobrando e imagino que você também). Foi por querer também uma mulher interessante para conversar. Sempre procurei me cercar de pessoas que apreciem as mesmas coisas que eu e que preferencialmente não me critiquem por trabalhar muito. Reconheço que já passei muito por isso quando viajo a trabalho. O antídoto para a “solidão hoteleira” é cativar amigos em todos os portos.
 Já deu para perceber que você é tímida para dialogar, enquanto eu sou excessivamente comunicativo. Mas como essa história vai acabar em pizza mesmo (e eu não resisto a uma pizza), vamos tocando em frente. 
Estou indo de madrugada.  Teria que voltar essa semana, mas minha secretaria não está conseguindo vagas em hotéis. Tudo lotado. Adiarei uns 15 dias, porque na próxima semana será impossível me ausentar por causa da posse no novo gerente e umas reuniões com a equipe. Para encontrá-la precisarei organizar minha agenda. Preciso de uma previsão dos seus horários livres.
Estou feliz porque ainda a verei uma vez antes de você me esquecer.

Beijo grande e até a volta...

Tom Zé 
  
PS: "Ainda sou o mesmo menino que não dorme a planejar travessuras..." Oswaldo Montenegro


| 2011 |

2 comentários:

  1. Oi Paula, obrigada pelos elogios e pela visita. Como funcionam esses editais? Me manda um email, se puder... tassia.jaeger@gmail.com

    Beijooo

    ResponderExcluir
  2. Adorei!
    Desculpa a falta de visitas aqui, amigue!
    beijos ;*

    ResponderExcluir

Caro visitante...

Se tiver dúvidas no preenchimento dos campos, selecione a opção "anônimo" e assine no final (nome, cidade e estado).
Seu comentário será moderado e aprovado (ou não, no caso de spam) através do meu e-mail pessoal.
Sua participação é muito importante para a continuidade do meu trabalho.
Grata pela colaboração despenteada!

Paula Izabela

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...