PANAPLÉIA

Minha foto
Bem-vindo(a) ao Laboratório de Autoria de Panapléia! À esquerda das postagens, estão meus textos divididos em categorias e temas. À direita, indicações de blogs e as mídias sociais. No rodapé, mimos felinos e os créditos do blog. Boa leitura!

MEU DESTINO É SER FÊNIX


"Há muita gente infeliz por não saber tolerar com resignação a sua própria insignificância." 
Marquês de Maricá


A inveja não é tão feia quanto se pinta. Todos sentimos inveja em alguma situação e nem por isso destruímos tudo ao nosso redor. Ruim não é o sentimento, é o que se faz com ele. Tomemos como exemplo o ciúme: um zelo saudável em pessoas equilibradas e um trator desgovernado em corações sem amor próprio.

Já observou que aquele amuleto “xô inveja” que você trouxe da sua última viagem não funciona? Ele não lhe protege de pessoas infelizes – essas sim, são perigosas e destrutivas. A infelicidade é contagiosa, arrasta para baixo o que está acima e arrasa o que vê pela frente. Pessoas assim pagam qualquer preço para terem companhia em seu inferninho pessoal. Não respeitam ninguém por acreditarem numa total liberdade quando a vida dá errado: nada do que fizerem poderá torná-las mais infelizes. Gente infeliz tem uma linha de raciocínio demoníaca: prejudica o outro mesmo que isso piore a sua situação. Tenho medo (e muito) de quem não tem o que perder!

Guimarães Rosa escreveu que “infelicidade é uma questão de prefixo", acredito que em alguns casos é a má influência do BBB. Cria-se, principalmente no mundo corporativo, a ilusão de que o outro é empecilho para meu crescimento. Solução: transformar o outro em degrau e pisá-lo bem para nunca mais aquele cachorro morto ressuscitar. Burrices de quem faltou na aula de Mitologia e desconhece os atributos da Phoinix (grego).

Discutindo o assunto com uma amiga, ouvi a seguinte frase: “Eu queria que eles fossem bem felizes, muito felizes. Só assim parariam de me perseguir.” Vim para casa pensando no assunto e comecei a contabilizar quem eram as criaturas infelizes que me atropelaram (várias vezes) pela vida:
  • as mulheres que cogitaram a possibilidade de meu pai não assumir a gravidez de minha mãe = gente infeliz!
  • os parentes que se decepcionaram ao descobrir os sinais paternos que tenho no corpo, derrubando por terra sua maledicência = gente infeliz!
  • as crianças que acharam uma ofensa eu ser “filha única, mimada e idolatrada” = gente infeliz!
  • os colegas de sala que colocaram defeitos nos meus trabalhos para tentar convencer o professor a baixar minha nota = gente infeliz!
  • os colegas de trabalho covardes e acomodados que subestimaram minhas ideias e iniciativas = gente infeliz!
Ah, não, vou parar! Se for contabilizar cada cena, cada impropério e cada despautério, quem ficará infeliz serei eu. Principalmente quando chegar o momento de contabilizar os infelizes que me perseguem virtualmente. Talvez foi assim que essas pessoas se tornaram parceiras da infelicidade: remoendo cada dor, lambendo cada ferida, alimentando cada mágoa. Acredito que se o problema não tem solução deixa de ser um problema e passa a ser um fato. Passo a régua e viro a página! E começo de novo, e de novo, e de novo, até o dia em que dará tudo certo. Meu tempo é muito precioso para ficar contabilizando prejuízos. Só tenho tempo para relembrar as vitórias que foram bem poucas!

Minha pequena epifania de hoje é perceber o quanto fui e sou uma pessoa feliz. Não por me sentir alegre e radiante, mas por não desejar o mal de ninguém. Os meus maiores e mais violentos rompantes trataram de desmascarar mentiras, minhas piores maldades consistiram em fazer justiça no grito. Aos meus desafetos sempre desejei muita saúde e vida longa para poderem se arrepender sinceramente de todo mal que me causaram e terem vigor suficiente para me ressarcirem em dobro. E se não se emendarem, ainda guardo um último trunfo: melhor do que um bom futuro é esfregá-lo na fuça de quem duvidou dele. Parece grande o meu orgulho? Você precisa ver o tamanho da minha Fé!


Para ouvir depois de ler: "Erva Venenosa" de Rita Lee ;-P


PS aos infelizes: Cresçam e desapareçam!


PS a quem acompanha o blog torcendo por más notícias: "A infelicidade só se consola com a infelicidade dos outros." Henry de Montherlant

| 2012 |

2 comentários:

  1. Bela, você tem luz própria e isso incomoda quem vive na escuridão. Bola pra frente sempre na torcida para que os infelizes sejam felizes um dia... Um beijo. Admiro imensamente você!

    ResponderExcluir
  2. Concordo com a Aíla,sou grata a FLIBO ,por ter me dado a oportunidade de te conhecer!!!! São tantos adjetivos na mente ,que fica dificil em seleciona- los pra te descrever...Sois fantástica!!!! MARIA DAS DORES MOTA

    ResponderExcluir

Caro visitante...

Se tiver dúvidas no preenchimento dos campos, selecione a opção "anônimo" e assine no final (nome, cidade e estado).
Seu comentário será moderado e aprovado (ou não, no caso de spam) através do meu e-mail pessoal.
Sua participação é muito importante para a continuidade do meu trabalho.
Grata pela colaboração despenteada!

Paula Izabela

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...